Brasil agora vai usar a tecnologia Blockchain para acompanhar as empresas

Desde que as criptomérias começaram a circular no mundo, muitas pessoas pensaram que seria simplesmente uma moda e que terminaria em breve, mas a verdade é que as criptomérias parecem estar aqui e vão ficar muito tempo.

Tanto que no país brasileiro está começando a desenvolver uma tecnologia para que as empresas possam começar a usar a Blockchain. De tal forma que eles possam pagar impostos através das moedas criptográficas.

Blockchain para empresas

As empresas do país brasileiro também estavam sendo registradas na plataforma de blockchain institucional da RFP (Coleção Federal do Brasil). Este departamento é responsável pela cobrança dos impostos do país.

De acordo com o relatório apresentado, o departamento da RFB quer ampliar a cobertura do projeto para o registro de informações tributárias com base no uso de ativos criptográficos. É por esta razão que este ano pretende lançar uma plataforma para o registo nacional de pessoas colectivas (CNPJ), estes dados seriam protegidos por uma cadeia de blocos.

brasil tecnologia Blockchain

Espera-se que esta plataforma seja muito semelhante à anunciada para novembro do ano passado, para a qual é o registro fiscal de blockchain de pessoas físicas (CBPF). Esta solução tecnológica, que é apresentada na RFB, visa auxiliar na inserção de dados de empresas, associações e instituições.

Pretende igualmente assegurar, em tempo útil, que estes possam conhecer e compreender a informação. Pode ser rastreável, distribuído e imutável, utilizando os mesmos planos que trabalharam na construção das ferramentas de registo de pessoas singulares.

Na mesma informação é relatado que o CNPJ, que é baseado na tecnologia de criptografia ativa, não tem data para a estréia, mas indica que a meta é começar a usá-lo nos primeiros 3 meses deste ano. No cadastramento de pessoas físicas iniciado em novembro do ano passado, a RFB permitiu que até junho deste ano a pessoa pudesse ingressar no novo processo.

Dataprev, os criadores do projeto

A empresa responsável pelo desenvolvimento do BCPF para instituições fiscais é a Dataprev, instituição responsável pelo desenvolvimento tecnológico e dependente do Ministério da Fazenda do país.

Embora a informação não confirme se será responsável pelo desenvolvimento do projecto para os registos de pessoas colectivas, é muito provável que venha a sê-lo, uma vez que se trata de uma empresa que pertence ao sector público. O desenvolvimento da ferramenta criada pela Dataprev para este tipo de processos é feito com uma ferramenta open source, um software livre.

Foi criado por projeto do Governo ao Governo (G2G), onde é possível compartilhar todos os dados da rede apenas com as empresas ou instituições públicas autorizadas, dependendo do critério utilizado.

Brasil agora vai usar a tecnologia Blockchain para acompanhar as empresas
5 (100%) 1 vote

Deja un comentario